Fixo

Morre em hospital de Campo Grande homem queimado em série de incêndios de retaliação à polícia

Ele estava em uma das casas que os criminosos colocaram fogo, em junho deste ano, em Ivinhema. Sete pessoas foram presas.

Queimado na série de incêndios criminosos ocorridos em Ivinhema, a 289 quilômetros de Campo Grande, no fim de junho, Aparecido Fialho, de 59 anos, não resistiu e morreu no hospital. Sete pessoas foram presas à época por terem colocado fogo em duas casas e cinco veículos.

Em uma dessas residências estava Aparecido. Ele foi socorrido em estado grave e transferido para a Santa Casa de Campo Grande, hospital referência no tratamento de vítimas de queimaduras, mas não resistiu. Por volta das 11h (de MS) de terça-feira (20) foi constatada a morte dele.

Conforme a polícia, os imóveis e os veículos foram incendiados em retaliação a prisões de traficantes ocorridas dias antes na região.

Além de Aparecido Fialho, outras quatro pessoas foram vítimas dos suspeitos, que têm entre 18 e 37 anos. Eles foram autuados em flagrante por incêndio, resistência, homicídio qualificado, desobediência e porte de drogas.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo