DestaquesNotíciasPolítica

Em troca de mensagens, assessor diz que secretária tenta derrubar ministro e pode prejudicar Bolsonaro

Na troca de mensagens que acabou virando um caso de polícia, o chefe de gabinete do ministro da Saúde, João Lopes de Araújo Júnior, acusou a secretária de Gestão do Trabalho, Mayra Pinheiro, conhecida como “capitã cloroquina”, de tentar derrubar o ministro Marcelo Queiroga e pode prejudicar os esforços de reeleição do presidente Jair Bolsonaro.

Os “prints” da troca de mensagens entre o chefe de gabinete e a secretária . As imagens foram retiradas do celular de Mayra e apresentados à Polícia Civil do Distrito Federal no registro do boletim de ocorrência. O caso foi revelado pela Rádio CBN.

As mensagens mostram que há dentro do Ministério da Saúde um clima de boicote e uma disputa pelo poder, inclusive com participação de pessoas no Palácio do Planalto, onde trabalha hoje o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. O ministério sofre pressão pela má gestão da pandemia.

“Você está tramando coisas terríveis”, escreve João. “Tive informação de dentro do Palácio (do Planalto) sobre o que anda fazendo e falando, e você não tem qualquer lealdade ao ministro (Queiroga). Sei de todos os nomes envolvidos nessa tentativa de retirada do ministro”, escreve.

“Você vai terminar é prejudicando muito o presidente. Estão se organizando para sabotá-lo para prejudicar a reeleição do presidente”, afirma ele.

A resposta de Mayra é apenas que irá fazer um boletim de ocorrência.

Mayra já era secretária da pasta quando Queiroga se tornou ministro. Fontes do governo afirmam que ele tentou tirá-la, sem sucesso, da Secretaria de Gestão do Trabalho na esteira das denúncias sobre a distribuição de cloroquina e a crise de oxigênio de Manaus.

 

 

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo