DestaquesFixoNotíciasPolícia

Pastora Márcia, da Igreja Avivamento de Deus, de Aquidauana, escondia marido condenado por estupro de menina de 13 anos de idade

Rodrigo e pastora Márcia quando da oficialização do casamento de ambos _ Reprodução

Marido da pastora Márcia, da Igreja Avivamento de Deus, Rodrigo Barbosa Ribeiro, de 38 anos de idade, foi preso pela Polícia Civil de Anastácio na última quarta-feira, 24, em cumprimento a mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul em agosto do ano passado. Ele foi preso enquanto trafegava em um automóvel pela BR-459.

Rodrigo Barbosa Ribeiro foi condenado por ter estuprado, há alguns anos, uma adolescente de 13 anos de idade, filha de um capataz que à época trabalhava em fazendas da região. Seu ato criminoso gerou o Processo 0500190-80.2013.8.12.0052, Ação Penal de Procedimento Ordinário – Estupro de Vulnerável, tendo como autor o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul e o condenado como réu.

Ele foi condenado e recorreu da sentença, mas, no ano passado, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul confirmou a sentença e a condenação transitou em julgado, motivando a expedição do mandado de prisão.

Desde então, Rodrigo passou a viver como foragido da Justiça e, de acordo com informações da delegada Sílvia Elaine, titular da Delegacia Regional de Aquidauana, as autoridades policiais receberam informação de que o dito cujo estaria escondido em uma propriedade rural em Nioaque.

O mandado de prisão expedido em agosto de 2019 pelo TJMS _ Reprodução

Ficava claro para as autoridades que alguém, provavelmente sua mulher, a pastora Márcia, estava protegendo o foragido da Lei.

A delegada explicou então que, com base na informação de que o estuprador estaria na região, foi montado um esquema de monitoramento para chegar até ele e assim cumprir o mandado de prisão.

O serviço de inteligência policial, sabendo que alguém estava protegendo o condenado, para que ele não escapasse mais uma vez, usou uma nova tática: orientou seus policiais para que deixassem ele seguir no carro que era conduzido pela esposa, a pastora Márcia, até um posto da Polícia Rodoviária Federal – PRF -, na BR-459, onde foi feito o cerco ao veículo e ocorreu a tão aguardada prisão do foragido.

A identificação do processo no TJMS _ Reprodução

A polícia relatou no Boletim de Ocorrência que dentro do veículo foram encontrados um estoque considerável de mantimentos e muita água, um claro indicativo de que a pastora, bastante conhecida em Aquidauana, responsável por escondê-lo desde a decretação de sua prisão, estava elaborando uma nova rota de fuga ao seu marido.

Na cidade, desde a divulgação da primeira notícia pelo site TVGDS News são muitos os comentários sobre a atitude da pastora que, mesmo sendo uma pregadora da Palavra de Deus, não se furtou de esconder o elemento condenado por estupro. Ele teria escondido o marido em vários pontos do município e cada vez que o esconderijo ficava vulnerável seria ela a encarregada de levá-lo a outro ponto.

No momento da prisão de Rodrigo, foram encontrados muitos mantimentos e água no carro da Pastora Márcia que lhe dava fuga _ Divulgação

Felizmente, o Serviço de Inteligência da Polícia de Mato Grosso do Sul é um dos mais eficazes do país e pôs fim, pelo menos temporariamente, à aventura amorosa da pastora apaixonada e do seu marido acusado e condenado por estupro de vulnerável.

HISTÓRIA – Na cidade corre ainda a notícia de que a pastora, antes de se casar com Rodrigo Barbosa Ribeiro, causou muita dor de cabeça ao ex-marido e a outras famílias aquidauanenses.

No caso do ex-marido, com quem teve dois filhos durante o casamento, ela não teve pena. Ela pediu a prisão dele que, após a separação, caiu em desgraça e ficou sem condições de sobrevivência. Mas, ela não teve piedade. Mesmo tendo dois filhos com ele, foi satânica e pediu ao Judiciário que o prendesse com base no que rege a lei, coisa que não fez em relação ao estuprador que, depois de condenado, teve a sua proteção por longo período para que ele se safasse do cumprimento da pena em regime fechado que lhe foi importa pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Delegacia de Polícia Civil de Anastácio _ Reprodução

Por fim, corre na cidade, também, que o magnífico templo construído pela pastora Márcia seria fruto de muitas doações de famílias fieis que frequentam a Igreja Avivamento de Deus, muitos dos quais andam a pé ou de bicicleta enquanto a pastora e seu staff andam de carrão ano.

Aí tem e como diz o ditado que um dia é da caça e outro do caçador, podem esperar que vem mais chumbo quente por aí…

Mostrar Mais
Close
Close