BrasilConflitoDestaquesPolítica

Bebianno faz desafio a Bolsonaro após acusações de ‘suruba gay’

Ele desafiou Bolsonaro: ‘Vamos ver quem é o mentiroso’

O ex-secretário-geral da Presidência da República Gustavo Bebianno rejeitou a versão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre os fatos que o levaram a desistir de uma chapa com Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP). Bebianno diz que foi um delegado federal, e não ele, quem enviou a Bolsonaro fotos do “príncipe” agredindo moradores de rua e participando de festas gays.

 

O ex-presidente do PSL também desafia Bolsonaro a passar por um “detector de mentiras” com ele para testar sua versão da história. Em vídeo enviado a diversos órgãos da imprensa brasileira, ele afirma que recebeu uma ligação do então candidato à Presidência falando sobre as fotos às 4h30 de um sábado.

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), que foi quem trouxe a história à tona, diz ter recebido uma ligação de Bolsonaro às cinco horas da manhã. O capitão reformado teria entrado em contato para perguntá-lo sobre a sexualidade de Orleans e Bragança, e pedir o número do celular de Levy Fidelix – presidente do PRTB, partido do atual vice-presidente, Hamilton Mourão.

 

“Quando estava tudo ok para o registro dele no TSE, o telefone toca de madrugada, às 4h30 de um sábado. Era Jair Bolsonaro dizendo que tinha recebido um dossiê entregue a ele por um delegado federal, que eu não sei quem é, em conjunto com um coronel do exército, que eu também não sei quem é. Jair me disse ao telefone, eu acordei atordoado, não esperava aquela ligação, que naquele dossiê tinha fotos do Luiz Philippe participando de festas gays, bailes de máscara gays, além de um envolvimento com gangues de briga de rua que agrediam mendigos”, diz Bebianno.

 

Bebianno descreveu a história como “esquisita, baixa e surreal”, e acusou Bolsonaro de mentir para atacá-lo:

 

“Gostaria de passar por um detector de mentiras, eu e o senhor. Eu de um lado, o senhor do outro. Vamos ver quem é o mentiroso? Eu gostaria. Tá aqui o desafio, quero ver se o senhor aceita.”

 

Na reunião para anunciar a fundação de um novo partido, Bolsonaro teria dito a apoiadores que se arrepende de ter escolhido Mourão como vice, e pedido desculpas a Orleans e Bragança. Hoje deputado federal, o “príncipe” nega todo o conteúdo do dossiê em áudio enviado a colaboradores e obtido pelo jornal O Estado de São Paulo:

 

“Sobre o Frota dizer que tinham fotos minhas fazendo suruba gay e outra denúncia fake que eu batia em mendigo. Inventam coisas. Não sou gay nem sei onde faz suruba gay (risos). Talvez eu ganhe pontos com a comunidade LGBT (risos). Isso é fake news do Frota.”

 

Fonte Yahoo Notícias.

Mostrar Mais

Relacionados

Close
Close